out 18, 2021

Tudo o que você precisa saber sobre marketing de conteúdo para se tornar um especialista

Visibilidade. Quem não quer? Hoje em dia, qualquer empresa e marca precisa investir no marketing digital para continuar tendo relevância e aparecendo para seus clientes. O que antes era uma tendência já é um investimento indispensável. Quem não trabalha com marketing digital vai ficar para trás.

E como ganhar a atenção do público e se destacar no mercado? O marketing de conteúdo é uma boa maneira de sua marca aparecer com mais destaque e relevância, em busca de novos clientes.

Esse artigo que preparamos é para você que ainda não sabe o que é marketing de conteúdo ou está querendo se aprofundar no assunto. Vem com a gente e seja um especialista na área também!

 

O que é marketing de conteúdo

Dentro da estratégia de marketing, há várias maneiras de buscar atingir o seu público-alvo, criar um relacionamento e conquistar novos clientes. E uma das principais é o marketing de conteúdo, ou seja, criar um conteúdo valioso e relevante para buscar seus objetivos.

Com o conteúdo, sua empresa vai conseguir atrair, envolver e gerar valor para o público, mostrando a relevância da sua marca.

É importante lembrar que hoje em dia o público mudou a forma como consome conteúdo, com mais poder de decisão para escolher aquilo que quer ver e também como interagir com esse conteúdo.

Diante desse cenário, o inverso também ocorre. As marcas conseguem direcionar melhor o seu conteúdo para um público específico e de acordo com as suas necessidades.

Saber o desejo das pessoas, do seu público-alvo, é um dos desafios de quem trabalha com marketing de conteúdo. Os profissionais precisam criar um conteúdo valioso que não tenha foco apenas na venda, mas sim em levar algum benefício para quem recebe o material: pode ser a solução de algum problema, alguma ajuda, ensinamentos e dicas. Com a possível aproximação e interação com os clientes, a venda será uma consequência natural.

Gerar uma percepção positiva e relevância da sua marca é um dos objetivos que você quer alcançar com o marketing de conteúdo, buscando na sequência, claro, novos negócios. Lembre-se sempre, e essa é uma dica muito importante, que as pessoas têm a tendência de fazer negócios com quem lhe passa confiança. Então faça um marketing de conteúdo de primeira qualidade!

 

O passo a passo do marketing de conteúdo

Podemos dividir a estratégia do marketing de conteúdo em cinco etapas principais. Confira todas elas: 

 

  • Planejamento: É pensar nas tarefas, quem será responsável por elas e como será possível atingir as metas definidas.
  • Persona: Um ponto fundamental na estratégia de marketing é definir a persona, ou seja, para quem você vai direcionar o seu conteúdo. Com essa definição, ficará muito mais fácil saber o que fazer. 
  • Criação de conteúdo: hora de colocar a ideia no papel e montar o conteúdo, que pode ser produzido para diferentes formatos, como blog, email, vídeo, redes sociais e muito mais!
  • Distribuição: Onde está a sua persona? Se ela consome conteúdo nas redes sociais, o seu direcionamento deve ser neste canal. 
  • Mensuração: Você só vai saber se a campanha que você criou está funcionando analisando os resultados.

 

Mais à frente vamos acompanhar todas essas estratégias com mais profundidade. Antes, vamos conhecer um pouco mais sobre Inbound Marketing.

 

Inbound Marketing 

O marketing de conteúdo faz parte da metodologia Inbound. Mas afinal o que é o Inbound Marketing?

O objetivo do Inbound Marketing é usar as estratégias de marketing para atrair clientes de uma forma sutil, sem precisar montar um anúncio escancarado. Ele também é conhecido como marketing de atração. Com essa estratégia, você faz com que as pessoas absorvam a sua mensagem e dá tempo para elas se aproximarem da sua marca. 

São quatro pilares que definem o Inbound Marketing:

 

  • Atração: ele vai atrair as pessoas graças ao conteúdo relevante.
  • Conversão: após conseguir atrair um público para seu conteúdo, a ideia é transformar essas pessoas em lead, em potenciais clientes. 
  • Venda: o próximo passo é mostrar que seu serviço é útil para o cliente, então é momento de fechar a venda.
  • Encantamento: o relacionamento entre marca e cliente não pode acabar após a venda. A estratégia do Inbound Marketing prevê que a relação seja duradoura. A empresa deve continuar enviando um conteúdo atrativo, além de seguir com um atendimento relevante.

 

Quem trabalha com marketing de conteúdo precisa seguir todos esses passos da metodologia Inbound. A seguir, vamos ver os principais benefícios que o marketing de conteúdo pode trazer para seu negócio. 

 

Os benefícios do marketing de conteúdo

Não há dúvidas que o marketing de conteúdo traz muitos resultados para as empresas. Você quer saber por que a maioria das marcas está apostando nesta estratégia? Confira a seguir alguns dos benefícios do marketing de conteúdo. 

 

Faz seu site ganhar tráfego

Produzir um bom conteúdo ajuda a deixar o seu site nas primeiras páginas do Google, a maior ferramenta de buscas da internet.

Se a maioria das pessoas usa o Google para fazer pesquisas, você precisa estar nele. Quanto mais conteúdo você produzir, maiores são as chances de você aparecer para o público. 

 

Reconhecimento de marca

Já falamos que as pessoas têm a tendência de comprar produtos de quem já conhece e tem um relacionamento em comparação a uma marca desconhecida.

Produzir conteúdo é uma ótima maneira de fazer com que o público reconheça a sua marca. E, na hora que ela precisar de um produto ou serviço, bem provavelmente vai escolher a sua empresa. 

 

Traz engajamento

Além de reforçar a sua marca, você também quer um engajamento. Já imaginou as pessoas compartilhando textos e postagens da sua empresa nas redes sociais? Se ela se identificar e tiver um apreço pelo o que você entrega, as chances são grandes de isso acontecer. 

 

Geração de leads

Além de trazer tráfego para seu site, você quer também gerar leads. E uma coisa está atrelada a outra. Com informações sobre o seu público alvo e os visitantes do site, você vai conseguir preparar um conteúdo específico para enviar para eles, para, quem sabe?, colocar em contato com um vendedor da sua empresa.

 

Vendas

O processo de compra do cliente passa pela produção de conteúdo. Preparando o conteúdo certo, é possível preparar os seus leads para que eles tomem uma decisão.

 

Aumento do LTV

O marketing de conteúdo é uma boa forma de aumentar o lifetime-value da empresa. Chamamos de LTV o quanto o cliente gasta com a sua marca. 

Como é mais barato vender para um cliente atual do que conquistar um novo, as marcas apostam na estratégia do conteúdo para fidelizar o cliente. 

 

Diminui o CAC

Você sabe o que é o Custo de Aquisição de Clientes (CAC)? É a métrica que mostra o quanto sua marca investe nas áreas de vendas e marketing para atrair um novo cliente.

Quanto menor o seu CAC, mais rentabilidade você terá. Aposte no marketing de conteúdo para diminuir o CAC.

 

A estratégia do marketing de conteúdo

Engana-se quem acha que fazer marketing de conteúdo é simplesmente colocar um blog no ar ou escrever um texto. É preciso uma estratégia organizada, que é dividida em três etapas:

  • Planejamento
  • Execução
  • Mensuração

 

A seguir, vamos ver todos os detalhes dessas etapas. 

 

Planejamento da estratégia de conteúdo

Antes mesmo de começar a pensar no conteúdo, sua marca tem de pensar em toda a estratégia e caminho a seguir para obter os melhores resultados.

Nesta fase você tem de definir os objetivos, quais são as estratégias e também quais métricas servem para sua marca. 

 

Definindo as personas

Ponto fundamental no marketing de conteúdo: para quem você está montando toda sua estratégia? Você quer atingir a pessoa certa para que ela se torne cliente da sua marca.

Conhecer a persona é um dos primeiros passos da sua estratégia. Podemos definir a persona como um personagem semi-fictício do seu cliente ideal: é muito mais específico do que o público-alvo, por exemplo. 

Um exemplo de persona: Maria, 20 anos, jovem universitária, que gosta de sair com as amigas no fim de semana, trabalha meio-período durante a semana, estuda à noite e acompanha os blogs de beleza. 

Conhecendo esse perfil, fica muito mais fácil produzir um conteúdo direcionado para sua persona. Isso facilita também mapear a jornada de compra do seu cliente. 

 

Definindo seus objetivos e KPIs

Qual é o seu principal objetivo ao trabalhar com marketing de conteúdo? Uma empresa vai ter uma estratégia diferente de outra, mas todas elas pretendem atingir um objetivo. Esses são alguns:

 

  • Gerar vendas;
  • Educar o mercado;
  • Aumentar o engajamento;
  • Gerar reconhecimento da marca;
  • Aumentar o LVT.

 

Cada objetivo escolhido requer um planejamento diferente. E um próximo passo dentro da estratégia de marketing de conteúdo é definir os indicadores de performance, os KPI’s.

Afinal, colocar uma campanha no ar e não medir os resultados é praticamente inútil. Assim como também não adianta ter vários KPI’s: é preciso escolher aquele que vai fazer a diferença.

Um bom KPI tem as seguintes características: 

 

  • ter lógica: as métricas de ‘vaidade’ podem ser um tiro no pé. Elas precisam ser importantes para seu objetivo.
  • ser fácil de entender: uma métrica clara, fácil de ser lida, ajuda toda a equipe de marketing.
  • Trazer resultados: quando você sabe que escolheu o KPI errado? Quando sua campanha não está dando resultados após a análise das métricas.

 

Agora que você já sabe a importância dos KPIs, vamos mostrar quais deles podem ser usados:

 

  • Engajamento: comentários em postagens, compartilhamento nas redes, número de páginas visitadas no site, taxa de rejeição baixa;
  • Reconhecimento de marca: curtidas, seguidores, visualizações e mais!
  • Leads gerados: conversões, novos contatos.
  • Vendas: número de vendas.
  • LVT: tempo de contrato dos clientes.

 

Funil de Vendas

O funil de vendas ilustra o processo de venda, desde o primeiro contato com o possível cliente até o final, quando a venda é realizada.

É uma representação importante para sua marca saber em que fase do funil seus clientes se encontram, e como montar um conteúdo específico para cada uma dessas fases. 

 

Topo do funil: aprendizado e descoberta

O desafio aqui é atingir um público que não está necessariamente procurando nada da sua marca. É um público que nem está procurando soluções, ainda nem sabe que tem algum problema a ser resolvido.

Você deve atrair a atenção dessas pessoas para iniciar o processo de vendas. O conteúdo não pode ser publicitário, mas sim informativo, com matérias interessantes que vão promover uma ligação com esse público. Sua ideia é iniciar uma aproximação, para ganhar a sua confiança.

Nesta etapa do funil de vendas, o conteúdo pode ser em blog, vídeos, ebooks informativos e podcasts, por exemplo.

 

Meio do funil: reconhecimento e consideração

Ao contrário do topo, no meio do funil, as pessoas já estão procurando uma solução para resolver os problemas. Sua marca já pode usar formulários para buscar os dados dos clientes. 

O conteúdo pode ser parecido com o usado na etapa anterior, mas precisa ter um foco maior. Apresente mais soluções do que apenas informações e curiosidades. Os eBooks são ótimas ferramentas para a qualificação de leads. 

 

Fundo do funil: hora da decisão!

É nesta etapa que as vendas acontecem. Após se interessaram pelo seu conteúdo, é aqui que as pessoas tomam uma decisão de compra. 

O material produzido para esta etapa já tem de ser mais focado em sua empresa ou produtos. Mostre cases de sucesso, depoimentos de clientes ou explique melhor seus produtos. Uma boa dica é criar uma landing page com ofertas e descontos. 

 

Pós-venda

Esse é um ponto que muitas empresas falham: após a finalização da venda, deixam o marketing de lado.

Mas saiba que é justamente aqui que o marketing de conteúdo deve continuar em ação. Como já falamos, é mais barato para uma empresa manter um cliente antigo do que conquistar um novo. E, se uma pessoa já comprou de você, e teve uma experiência positiva, são grandes as chances de ele voltar a fazer negócio.

Aproveite os dados que já possui desse cliente para direcionar um conteúdo específico para ele, agregando mais valor.

 

Canais

Após definir as personas e os objetivos, é hora de escolher onde distribuir o conteúdo. E a primeira dica é: esteja onde seu cliente estiver. 

Não é porque você gosta do Instagram que seu conteúdo deve ser postado lá. Afinal, talvez a sua persona acompanhe mais o YouTube, então esse deve ser o canal escolhido. 

Outra dica é escolher o canal que você consegue se dedicar. De novo: se não há condições de produzir vídeos, esqueça o YouTube. 

A seguir vamos ver alguns dos principais canais de distribuição de conteúdo. 

 

Redes Sociais

Produzir conteúdo para as mídias sociais traz vários benefícios, como engajamento, divulgação da marca, oportunidade de vendas e muito mais.

Seja no Instagram, Facebook, Twitter, LinkedIn e outras mídias, é impossível pensar hoje em uma estratégia que não inclua essas plataformas. 

 

Blog

Postar no blog garante mais tráfego para o site e bastante visibilidade. Por esse motivo, os textos em blog são a segunda estratégia mais usada pelo marketing de conteúdo das empresas, só atrás das redes sociais.

Com o blog, a empresa aumenta suas chances de converter leads.  

 

Vídeos

O alcance dos vídeos tem aumentado nos últimos anos, e esse tipo de conteúdo ajuda a aumentar a autoridade da marca no mercado, além de educar o público.

Uma de suas vantagens é que ele pode ser facilmente consumido em celular, tablet e outros dispositivos.

 

Email marketing

O email marketing continua sendo uma poderosa ferramenta dentro do marketing de conteúdo, com um dos maiores ROI (retorno sobre investimento).

Seu custo baixo e amplo alcance fazem com que o email marketing esteja sempre nas estratégias de marketing de conteúdo.

 

Ebooks e outros

Mostre sua autoridade no assunto com esse tipo de material, como eBook, white papers ou infográficos, por exemplo.

É um conteúdo ainda mais informativo e completo do que postagens em blogs ou redes sociais, além de gerar leads e aumentar a base de contatos da sua empresa: para disponibilizar o eBook, por exemplo, você pode montar um formulário de cadastro.

 

Execução da estratégia

Se a etapa de planejamento foi importante para você pensar em tudo o que iria construir, agora é momento de executar o que foi planejado.

 

Produção de conteúdo

Aqui é quando o planejamento começa a tomar forma. Mas é preciso cuidado, afinal, criar um conteúdo de qualidade não é uma tarefa tão simples.

Para te ajudar, separamos alguns pontos que devem ser levados em consideração:

 

  • Palavras-chave. Fundamental para o SEO (Search Engine Optimization), ou seja, para que seu conteúdo seja bem rankeado e apareça nas primeiras posições das páginas de pesquisas da internet, como o Google. Um bom texto de marketing de conteúdo, por exemplo, precisa ter essas palavras no título e ao longo do artigo.
  • Tamanho e formato. De novo devemos pensar no SEO, já que o Google costuma dar destaque para textos mais longos. Um texto de 500 palavras costuma ser um bom tamanho. E dê preferência a diferentes formatos, oferecendo também um conteúdo em vídeos, infográficos ou podcasts, por exemplo. 
  • Design. A estrutura do material também é importante para conquistar o público. Em um texto, use imagens, intertítulos, negritos e listas, para que a legibilidade seja a melhor possível. Frases e parágrafos curtos também são uma boa opção. 
  • Revisão. Ninguém gosta de ler um texto cheio de erros de ortografia, então dê atenção a esse processo. A revisão ajudará também a mostrar se o texto escrito tem lógica e está dentro dos padrões.

 

Trabalho de SEO

Otimizar o texto para os motores de busca também é uma estratégia da metodologia inbound.

Com certeza você já percebeu que, ao pesquisar por uma palavra no Google, um site vai aparecer em primeiro lugar e outros vão vir na sequência. Os algoritmos do Google (ou de outra página de busca) consideram determinado texto mais importante que outros.

Estar bem colocado neste ranking é o que toda empresa quer, para aparecer antes para os clientes. Com o trabalho de SEO, é possível seguir algumas regrinhas, como escolher a palavra-chave correta e a usar nos lugares certos (título, URL, meta-descrição e foto, por exemplo), o tamanho do texto, a autoridade da página (se ela é bastante compartilhada) e muito mais!

 

Divulgação 

Como acabamos de ver, o Google é um dos melhores meios para que seu conteúdo apareça, mas não deve ser o único.

Você teve tempo e trabalho para pensar em todo o conteúdo e estratégia, então coloque o material à vista de todo o seu público.

Quanto mais pessoas virem o seu conteúdo, mais sucesso você terá! Separamos dois ótimos canais de divulgação:

 

Redes Sociais

Antes de sair postando em todos os canais, estude e saiba a diferença de cada uma delas. O LinkedIn, por exemplo, tem um perfil mais empresarial, com uma linguagem mais formal, enquanto o Twitter é mais dinâmico, podendo usar memes e um conteúdo interativo.

Como já vimos, para você obter um melhor desempenho e resultados, é preciso apostar nas redes que sua persona mais usa. Faça essa pesquisa antes e descubra onde seu público está. 

 

Email marketing

Sabe qual é o principal motivo de o email ser um poderoso meio de divulgação do seu conteúdo? Você consegue entregar direto para o cliente e ainda medir seu engajamento.

Além de mandar periodicamente uma newsletter, você pode também acompanhar o momento da jornada de compra do cliente, enviando conteúdos específicos para cada etapa da jornada.

No decorrer do processo, você saberá se ele abriu todos os emails e baixou todo o conteúdo enviado. 

 

Geração de leads

Já vimos anteriormente como funcional o funil de vendas. Enquanto no topo pode ter muitas pessoas, mas não necessariamente interessadas no seu produto, chegar ao fundo do funil é o grande objetivo. Ou seja, gerar leads.

Chamamos de leads os possíveis clientes, quem demonstra interesse no seu conteúdo e já forneceu algumas informações como email, nome e telefone em troca do material.

Ao ter essas informações em mãos, fica mais fácil trabalhar no funil de vendas, preparando um conteúdo personalizado para a pessoa.

Você pode gerar leads oferecendo um eBook, por exemplo: a pessoa vai se cadastrar no site para receber esse material. 

Após conseguir os leads, é preciso nutri-los. Ou, no bom português, enviar mais conteúdo para transformá-los em clientes. 

Um bom modo de fazer isso é preparar uma sequência de emails, com diferentes materiais, que vão guiar as pessoas na jornada de compra. 

 

Mensuração da estratégia 

Não se abale se no meio do caminho você tiver que mudar a sua estratégia. Afinal, uma das vantagens do marketing digital é justamente poder acompanhar os resultados em tempo real.

Mensurar os resultados é uma etapa tão importante quanto planejar o conteúdo. É medindo os resultados que você descobrirá se o que colocou em ação está funcionando ou não. E fazer as correções se necessárias.

A frequência com que você deve olhar os resultados depende de cada métrica. Algumas podem ser diárias, enquanto outras são mensais.  

Algumas métricas necessitam de tempo para ter resultados, como o custo de aquisição de clientes (CAC). Por outro lado, tem como ver a frequência diária do tráfego do site. 

O ROI é uma das métricas mais importantes dentro do marketing de conteúdo, e aquela cujo diretores estão mais de olho, afinal é o que mede a eficiência do investimento.

A conta é a seguinte: o que você ganhou MENOS o que gastou DIVIDIDO pelo o que gastou. Ele é medido em porcentagem.

 

Ferramentas para o marketing de conteúdo

Bom, já vimos que para fazer um bom marketing de conteúdo é preciso um trabalho conjunto de vários profissionais, sempre de olho nos processos e métricas.

Claro que todo o trabalho precisa de ferramentas. Separamos algumas das mais importantes, que serão fundamentais para o trabalho.

Para blog. Um CMS (Content Management System) é o que vai permitir que você estruture a navegação do site. E o sistema de gerenciamento de conteúdo mais famoso é o WordPress. 

Para SEO: Faça pesquisas de palavras-chave e veja como realizar otimizações com as seguintes ferramentas: SEMRush, Keyword Planner do Google, Ahrefs e BuzzSumo.

Para mídias sociais. Há diferentes ferramentas para gerenciar as mídias sociais, com agendamento de postagens: Hootsuite, Etus, SimplyMeasured e Quintly.

Para automação. Para quem trabalha com disparo de emails e nutrição de leads: Hubspot, MailChimp e RD Station.

De monitoramento. Já citamos algumas anteriormente que ajudam no desempenho da estratégia, mas seguem outras duas: Google Analytics e Power BI.

 

Gostou de todas essas nossas dicas sobre marketing de conteúdo? Agora é colocar tudo em prática e se tornar um especialista no assunto. Mas, caso tenha alguma dúvida e precise de uma ajuda para fazer o marketing do conteúdo da sua empresa, é só nos chamar!